domingo, 20 de março de 2016

Calopsia

Vi os pequenos derrubando os gigantes
e os gigantes sendo imitados pelos pequenos.
A rebeldia das vitrines.
A vingança e a misericórdia em uma balança.

Mexi a massa até doer o braço,
mas desse bolo não ganhei pedaço.
Somos mesmo desafinados
nessa louca orquestra divina.

Primeiro se nasce e o resto é ensaio,
Mendigo tem medo de trovão.
Herói parece palavrão
e se não fosse pela música
isso tudo já havia acabado.

E a gente,
besta que só,
quando quer dormir
lida com o incomodo de acordar.

E ver aquelas caras feias nos observando das sacadas.
Eles sempre te farão acreditar que o mundo é justo.
Que se você lambe o chão que eles pisam
um dia eles lamberão o seu chão.
Mas os donos do mundo não são os donos da razão.

Um dia a buzina do trem chamado arrependimento
entrará pelos nossos ouvidos
até estourar nossos tímpanos,
perceberemos então o quanto fomos surdos.


(Rhangel Ribeiro)


Um comentário: